TRANSTORNOS ALIMENTARES

Os transtornos alimentares (anorexia, bulimia e transtorno alimentar sem outra especificação) constituem doenças graves, complexas e com alto grau de morbidade, sobretudo na adolescência, quando, com frequência, se iniciam e afetam ampla e severamente o desenvolvimento do indivíduo e sua família, levando a grandes prejuízos biopsicossociais.

Em geral acometem mulheres adolescentes e também adultas jovens. Recentemente há uma procura maior por tratamento de crianças e de pacientes do sexo masculino. Até algum tempo atrás, atingiam apenas jovens de classe média e alta, sendo que atualmente atingem todas as classes sociais.

Os transtornos alimentares são tidos como patologias difíceis de tratar em função da sua complexa etiologia. A interação de fatores biológicos, familiares, socioculturais predispõe ao desencadeamento e perpetuação desses quadros. Estão inegavelmente ligados a influências sociais e culturais, que associam a magreza com saúde e sucesso.

O sucesso de um programa de tratamento depende do atendimento integrado e completo oferecido por uma equipe multiprofissional, com o emprego simultâneo de várias estratégias.